OLIGARQUIA: "Uns nasceram pra ser Batman, a gente nasceu pra ser o Coringa!" - exclusiva.


Panda Reis e sua instituição chamada OLIGARQUIA são duas figuras fortes no cenário underground nacional, seja pelo seu pesadíssimo Death Metal da 'Velha Escola', seja pela opinião ferrenha de seu baterista, que não tem meias palavras nem 'rabo preso' com ninguém. A banda preserva esta postura desde seu nascimento em 1992 e hoje com a adição do vocalista Max Hideo, eleva cada vez mais seu inconformismo e seus ideais, mostrando que o Metal nacional tem opinião própria e atitude.
Confira uma parte da entrevista:
'Distilling Hatred' apresentou uma Oligarquia renovada, tanto na formação quanto na música. Passado um bom tempo do lançamento, o que a banda pode colher dele?

Panda Reis - Essa renovação aí citada eu diria mais na formação mesmo, pois na música estamos tocando o mesmo death metal tradicional, simples e old school de 20 nos atrás...
Mas na formação e talvez desempenho, principalmente nas guitarras e vocais, são claros, pois hoje temos vocalistas e guitarristas muito melhores que nos anteriores, então até o som mais simples como o nosso, ganha um brilho a mais. Não acredito que esse CD tenha dado frutos novos dos que davam em "árvores" antigas (risos), ele apenas serviu pra mostrar pro pessoal que a Oligarquia tava na ativa como sempre, na estrada e gravando disco, que as mudanças por mais problemáticas que possam ter parecido pra quem estava de fora, foram super tranquilas pela gente, por que já eram esperadas há tempo. 'Distilling Hatred' serviu pra apresentar o Max Hideo como ótimo vocalista que é, e pra descabaçar o Guilherme na parte de composições.
Um dos aspectos mais legais de 'Distilling Hatred' é o formato de seu lançamento, em SMD, o que barateou muito o preço final para venda (R$7,00). Quando surgiu a idéia? Ela funcionou?
Panda Reis - A ideia surgiu quando estávamos buscando selos ou gravadoras para lançar o CD, e percebemos que todas as portas estavam fechadas pra gente, percebemos que a saída seria lançar de forma independente e para isso acontecer em uma banda de proletários como a nossa, teríamos que buscar a saída mais barata e profissional que tivesse no mercado, aí demos de cara com o "Ralph" (risos)! E sua tecnologia em SMD era perfeita pra nós naquele momento, juntamos com alguns amigos (Poluição Sonora Recs) e conseguimos fundos de nossos poucos apoiadores e o lançamos. Adoro a capa feita pelo meu amigo Felipe (Unearthly), ele entendeu perfeitamente o que eu estava falando... Esse disco merecia uma maior distribuição, uma tiragem maior, ele já está fora de catálogo a meses, em menos de um ano de lançado ele já "não existia" mais... Mas funcionou pra caraio, pois atingimos quem a gente queria, aquelas mesmas mil pessoas que acompanham a banda, nem me importei muito com outros meios e pessoas que não os headbangers e underground que acompanham a banda, são por isso que ele ta on line pra ser baixado desde depois de dois ou três meses após seu lançamento, e teve gente chamando a gente de louco, por que com essa atitude disseram que encalharíamos os CDs. Como tem gente idiota na cena... O CD esgotou-se ao mesmo tempo em que os downloads aumentaram! (risos)
Para ler a entrevista completa, por favor, visite:




Contato para shows e merchandise: oligarquia@oligarquiadeath.com.br

Sites Relacionados:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mais visitadas

Próximos eventos